A utilização da técnica Laser Scanner 3D para a produção de modelos e réplicas de peças arqueológicas é realidade no Brasil, fruto de parceria firmada entre a Zanettini e a empresa canadense Up3D. Conheça os resultados e aplicações dessa tecnologia para fins científicos, conservação e educação.






Conteúdo não disponível para ser visualizado no navegador internet explorer, para visuzalizar o conteúdo faça o download de outro navegador:

Download Google Chrome


Download Firefox

A Ferrovia Transnordestina é uma das obras estratégicas do Plano de Aceleração do Crescimento do Governo Federal. Uma vez concluída, irá promover, por meio de uma malha ferroviária de 1.700 quilômetros, a interligação dos estados de Pernambuco, Ceará e Piauí, permitindo o escoamento de produtos diversos através dos portos de Pecém e Suape.

Como um empreendimento de grande porte, a ferrovia irá trazer mudanças de ampla extensão, tendo um impacto, no mínimo, reordenador das realidades sociais dos territórios envolvidos. Mais que isso, a Ferrovia Transnordestina será um novo elemento na paisagem do nordeste, representação material de uma nova lógica de circulação e organização espacial que chega a esta porção do território brasileiro.

Desde 2007, a Zanettini Arqueologia vem atuando na gestão do patrimônio arqueológico no âmbito do licenciamento deste empreendimento, realizando a identificação, valoração e ações voltadas à mitigação dos impactos advindos de sua instalação. Essa pesquisa tem integrado, ainda, o patrimônio arqueológico às múltiplas referências culturais das comunidades envolvidas.

Até o momento, foram identificados mais de 550 sítios arqueológicos, ampliando consideravelmente o conhecimento arqueológico para as regiões interceptadas pela ferrovia. Já foram resgatadas cerca de 95 mil peças, entre artefatos líticos lascados e polidos, fragmentos de vasilhas cerâmicas e uma ampla gama de evidências materiais associadas a sítios arqueológicos históricos dos séculos XVIII ao XX.

Do ponto de vista qualitativo, temos ocupações indígenas diversificadas e extensas ocupações de grupos agricultores, que remetem de 1500 a 6000 anos atrás em nossa história, diversos processos de ocupação associados à colonização europeia da região, assim como evidências das migrações associadas às secas que assolam a região desde o século XIX.

O estudo de contextos do século XX à luz da Arqueologia tem sido um componente fundamental da interface entre pesquisa e socialização. Essa Arqueologia dos ‘sertanejos e sertanejas’ tem possibilitado a construção de histórias que contam um pouco sobre esses contextos em transformação.

Por sua vez, a implantação de um amplo Programa de Educação Patrimonial, envolvendo oficinas, workshops e exposições, possibilitará não apenas a divulgação desse patrimônio, mas novas ressignificações e apropriações desse patrimônio a partir das comunidades envolvidas.

FICHA TÉCNICA
Contratante: Transnordestina Logística S/A
Local: Estados do Ceará, Pernambuco e Piauí
Período de execução: 2007-2012 (em desenvolvimento)